Google+ Followers

domingo, 23 de novembro de 2014

Você consegue resistir ao olhar pidão de seu pet durante a ceia de Natal? Pois precisa!



Faltando quase um mês para as delícias da ceia natalina, o Mundo Pet Magazine apresenta a pesquisa realizada pela Forthglade, marca de ração do Reino Unido, que revela que mais da metade dos donos de cães (61%) oferece guloseimas de natal aos seus animais. 


É verdade que muitos deles (49%) cometem este desatino por acreditarem que os cães fazem parte da família. Mas o fato é que esse "dengo" fará com que grande parte dos amigos adoeçam no final do ano.  



Peru, cebola, alho, uva, passa, abacate, macadâmia, café e chocolate, mesmo parecendo inofensivos, são extremamente tóxicos para os cães e devem ficar longe de seus animais. Sem contar, evidentemente, das bebidas alcoólicas



Triste mesmo é constatar, nesta mesma pesquisa, que 56% dos donos alimentarão seus peludos mesmo sabendo que essa dieta natalina lhes fará muito mal. :(

Caso você não queira passar o dia 25 no veterinário com seu amigão, certifique-se que eles estarão bem longe da mesa de natal.







Fonte pesquisa: Mirror

domingo, 16 de novembro de 2014

Os números do mundo pet mais uma vez confirmam a força deste mercado.

Há alguns anos é sabido que o Brasil é o segundo maior representante do segmento pet em todo o mundo, perdendo apenas para os Estados Unidos.

Hoje esse mercado representa 0,34% do PIB brasileiro estando à frente dos setores importantes como geladeiras e freezers, componentes eletroeletrônicos e produtos de beleza. Também não é pra menos. A população de caninos e felinos no Brasil conta com mais de 58 milhões de animais (37,1 milhões de cães e 21,3 milhões de gatos). Isso sem considerar pássaros, peixes, roedores e outros bichos.

De acordo com a Abinpet, Associação Brasileira da Indústria de Produtos para Animais de Estimação, o mercado pet brasileiro deve crescer 8,2% em 2014, o que significa um faturamento de R$ 16,4 bilhões. Crescimento especialmente originado pelas classes C e D, setores da economia nacional que representam cada vez mais participação. 



Já nos Estados Unidos, primeiro mercado pet do mundo com 82.5 milhões de lares (68% das famílias americanas), os números são ainda mais surpreendentes. Nos últimos 20 anos, o faturamento cresceu de 17 para 58 bilhões de dólares, segundo a Associação Americana de Produtos Pet, com parcela maior para alimentação, seguida por cuidados veterinários, tosa, acessórios e serviços, dentre outros.

De acordo com pesquisa da APPA (American Pet Products Association), a distribuição de pets do mercado americano conta com o seguinte ranking (em milhões de pets):

Cachorro - 56.7
Gato - 45.3
Peixe água doce - 14.3
Peixe água salgada - 1.8
Pássaro - 6.9
Pequenos animais -  6.9
Réptil - 5.6
Cavalo - 2.8

quarta-feira, 8 de outubro de 2014

Eles são os astros da web.

Quem já não encontrou pelo mundinho virtual cães e gatos que são quase tão populares quanto artistas de Hollywood?


                                                                          Boo - Quase 16 milhões de fãs em sua fanpage

O Mundo Pet Magazine fez uma pequena lista de grandes personagens peludos que habitam nossa internet, especialmente as redes sociais, e que conquistam milhões de fãs pelo mundo. Muitos já migraram do digital para o mundo físico e se transformaram em linha de produtos licenciados como bonecos, T-shirts, canecas, livros, bolsas, imãs e tantos outros itens para alegria das crianças e de muitos adultos também.


                                                      Grumpy Cat - Quase 7 milhões de fãs em sua fanpage



                                                                                                Lil Bub - Quase 2 milhões de fãs em sua fanpage



As pet celebridades invadiram as redes sociais e trouxeram uma enormidade de fãs. E você já segue um deles? ;)


domingo, 28 de setembro de 2014

O incrível projeto Under do suíço Sebastian Magnani.

Uma surpreendente combinação fotográfica do animal e seu dono. Um impactante trabalho artístico misturando a foto do humano (figurino, penteado, acessórios) com a de seu pet. Este é o projeto Under do suíço Sebastian Magnani, que foi lançado em 2009 utilizado imagens de cães e seus donos, que o projetou não apenas na Suíça, como também na Alemanha, Rússia, Estados Unidos, China, Reino Unido e, lógico, aqui no Brasil.


Magnani diz que começou o projeto Underdogs sem ter a menor ideia de que lhe traria tanto sucesso e repercussão. O trabalho foi notícia no Daily Mail, Good Morning America, BBC World News e mais uma centenas, quem sabe milhares, de blogs, sites e portais no mundo todo.

E para que uma parte do mundo pet não ficasse descoberta, cinco anos depois de lançada a bem sucedida experiência, ele resolveu dar continuidade ao trabalho com o Undercats, agora apresentando um ensaio de felinos e seus donos.

O Mundo Pet Magazine selecionou várias fotos do projeto Under e reuniu aqui para você conhecer o intrigante trabalho do artista.  Divirta-se! ;)

 

 

 

 

 





domingo, 21 de setembro de 2014

O simpático Rex de Ângelo de Aquino

 

O artista Ângelo Aquino, que nasceu em Belo Horizonte e cresceu no Rio de Janeiro, criou em 1984 um simpático personagem que ficou famoso no Brasil e conquistou o mundo das artes: o cachorro Rex.

Rex, que foi retratado com várias cores e em diversas situações (dirigindo carro, avião ou navio) foi capa de revista de arte e tapete na França, estampa em roupas adultas e infantis no Japão, personagem de livro infantil e ainda foi o "autor" de editoriais no jornal O Globo na década de 90. 
  
 

 

 
                                                                                     Jornal O Globo, edição de 1997

Questionado sobre o motivo que o levou a destinar grande parte de sua obra ao Rex, ele conta que começou a sentir a sua força quando percebeu o modo como as pessoas se relacionavam com a imagem. Realmente, carisma é o que não falta ao personagem.

Segundo o artista, o Rex é um cachorro urbano, sem raça, sem cor, é sarcástico, escreve em jornal e viaja. Ele é uma imagem urbana contemporânea. Tanto que sua presença é notada em galerias sofisticadas, em lojas de gravuras físicas ou virtuais. 

E Ângelo Aquino resolveu realizar sua obra não somente em telas. Ele pintou um grande Rex na parede de um charmoso restaurante no Rio de Janeiro. Assim, quem frequenta o restaurante tem uma experiência visual além de gastronômica.



Infelizmente em 2007, aos 61 anos, o criador do Rex nos deixou. Mas sua obra ficará para sempre consagrada no mercado das artes, nas galerias e nos corações. 



sábado, 13 de setembro de 2014

Qual a raça mais inteligente?

Quem tem um cão, sempre acha que o seu amigão é o mais inteligente da espécie. Mas um estudioso americano resolveu levar isso a fundo e lançou o livro A Inteligência dos Cães. Traduzido em mais de 25 idiomas, o livro aborda a inteligência do animal para o trabalho e para a aceitação de comandos de obediência.

No estudo, 133 raças foram avaliadas por 208 juízes que responderam 199 perguntas. E de acordo com Stanley Coren os critérios atingidos pelos cães foram listados de 1 a 80 que o Mundo Pet Magazine apresenta a seguir:


 

Nas posições de 1 a 10
Aqui estão relacionados os melhores cães de inteligência de trabalho. Após cinco tentativas, estes caninos já apresentam entendimento e não necessitam prática para repetirem comandos. Para 95% deles, não é preciso repetir uma ordem mais de uma vez. Sua velocidade entre o tempo de comando e o de execução também é considerada. Nestas posições estão:
01º - Border Collie
02º - Poodle
03º - Pastor Alemão
04º - Golden Retriever
05º - Dobermann
06º - Pastor de Shetland
07º - Labrador
08º - Papillon (cão)
09º - Rottweiler
10º - Australian Cattle Dog



Nas posições de 11 a 26 
Nesta lista figuram excelentes cães de trabalho, cuja repetição de comandos é dada entre cinco e quinze vezes, respondendo, em 85% dos casos, ao primeiro comando, sem necessitar de repetição. A demora entre o comando e a resposta é ocasionalmente notada quando este se apresenta um pouco mais complexo. Nestas posições estão:
11º - Welsh Corgi (Pembroke)
12º - Schnauzer Miniatura
13º - Springer Spaniel Inglês
14º - Pastor Belga Tervuren
15º - Pastor Belga Groenland, Schipperke
16º - Collie, Keeshond
17º - Pointer Alemão de Pêlo Curto
18º - Cocker Spaniel Inglês, Flat-Coated Retriever, Schnauzer Standard
19º - Brittany
20º - Cocker Spaniel Americano
21º - Weimaraner
22º - Pastor Belga Malinois, Bernese Mountain Dog
23º - Spitz Alemão
24º - Cão d'água irlandês
25º - Vizsla
26º - Welsh corgi cardigan



 

Nas posições de 27 a 39
Agora encontramos os cães de trabalho com inteligência acima da média. Estes caninos necessitam de até vinte repetições dos comandos para que os obedeçam, ainda que demonstrem entendimento prévio. Após treinados, em 70% dos casos não necessitam de repetição da ordem. Apresentam dificuldade em obedecer quando o dono se distancia e demoram um pouco mais para responder. Nestas posições estão:
27º - Yorkshire Terrier, Chesapeake Bay Retriever, Puli
28º - Schnauzer Gigante
29º - Airedale Terrier, Boieiro das Flandres
30º - Border Terrier, Briard
31º - Welsh Springer Spaniel
32º - Manchester Terrier
33º - Samoieda
34º - Field Spaniel, Terra Nova, Terrier Australiano, American Staffordshire Terrier, Setter Gordon, Bearded Collie
35º - Setter Irlandês, Cairn Terrier, Kerry Blue Terrier
36º - Elkhound
37º - Pinscher Miniatura, Affenpinscher, Silky Terrier, Setter Inglês, Pharaoh Hound, Clumber Spaniel
38º - Norwich Terrier
39º - Dálmata
 

Nas posições de 40 a 54
Aqui estão listados os cães de inteligência de trabalho e obediência intermediária, que precisam de até quarenta repetições para que aprendam um novo comando, demonstrando, após vinte repetições, um entendimento rústico da ordem dada. Em 50% dos casos, após treinados, respondem aos comandos sem necessidade de repetição. Todavia, a confiabilidade de execução depende do treinamento investido. Seu tempo de resposta é considerado lento. Nestas posições estão:
40º - Soft coated wheaten terrier, Bedlington Terrier, Fox Terrier Pêlo Liso
41º - Curly coated retriever, Irish Wolfhound
42º - Kuvasz, Pastor Australiano
43º - Pointer, Saluki, Spitz finlandês
44º - Cavalier King Charles Spaniel, Braco alemão de pelo duro, Coonhound preto e castanho, Cão D'Água Americano
45º - Husky Siberiano, Bichon Frisé, King charles spaniel
46º - Tibetan Spaniel, Foxhound inglês, Otterhound, American Foxhound, Greyhound, Griffon de aponte de pelo duro
47º - West Highland White Terrier, Deerhound
48º - Boxer, Dogue Alemão
49º - Dachshund, Staffordshire Bull Terrier
50º - Malamute do Alasca
51º - Whippet, Shar-Pei, Fox Terrier Pêlo Duro
52º - Rhodesian Ridgeback
53º - Podengo ibicenco, Welsh Terrier, Terrier irlandês
54º - Boston Terrier, Akita Inu



 



Nas posições de 55 a 69 
Agora aqui estão os cães cuja capacidade de obediência e de trabalho é classificada como razoável, necessitando de até oitenta repetições para que aprendam um comando. Mesmo após terem aprendido, a obediência aparenta ainda ser fraca, e em apenas 30% dos casos, conseguem responder a uma ordem sem necessidade de repetição. Caso o treinador ou dono se afaste, o tempo de resposta e a obediência diminuem consideravelmente.
Nestas posições estão:
55º - Skye Terrier
56º - Norfolk Terrier, Sealyham Terrier
57º - Pug
58º - Bulldog Francês
59º - Griffon de Bruxelas, Maltês
60º - Galguinho italiano
61º - Cão de Crista Chinês
62º - Dandie Dinmont Terrier, Pequeno basset griffon da Vendeia, Terrier Tibetano, Spaniel Japonês, Lakeland Terrier
63º - Old English Sheepdog
64º - Cão dos Pirineus
65º - São Bernardo, Scottish Terrier
66º - Bull Terrier
67º - Chihuahua (cão)
68º - Lhasa Apso
69º - Bullmastiff





Nas posições de 70 a 80 
Nestas posições estão as raças julgadas como detentoras do menor grau de inteligência de trabalho e obediência. Necessitam de até quarenta repetições para que demonstrem o mínimo de entendimento sobre o comando durante o treinamento e antes que consigam executar a ordem. É comum que precisem executar o mesmo movimento por mais de cem vezes antes que se tornem confiáveis. Nestas posições estão:
70º - Shih Tzu
71º - Basset Hound
72º - Mastino Napoletano, Beagle
73º - Pequinês
74º - Bloodhound
75º - Borzoi
76º - Chow Chow
77º - Bulldog
78º - Basenji
79º - Afghan Hound


"A ciência talvez nunca compreenda a extensão completa do que os cães sabem sobre linguagem, resolução de problemas, passado, futuro, Deus, tempo ou filosofia. No fim das contas, devemos nos contentar com o fato deles saberem o suficiente para serem cães, o que é tudo o que precisamos deles."

Stanley Coren - professor doutor de psicologia, pesquisador neuropsicólogo, autor do livro A Inteligência dos Cães.

domingo, 15 de junho de 2014

Conheça os novos jogadores da Copa do Mundo!

Em tempo de Copa do Mundo vale destacar o projeto do site belga Life on White, que fez um ensaio incrível com cães representando seleções de futebol, todas adequadas às respectivas raças dos peludos. E foi assim que surgiu o álbum com imagens maravilhosas do Fila Brasileiro, do Buldogue Francês, do Pastor Alemão, do Dogo Argentino, do Chihuahua, dentre outros, com a camisa de sua seleção. 
O site possui um acervo com mais de 30 mil fotos em fundo branco (daí o seu nome), apresentando mais de 1.000 espécies, e atende a diversos Bancos de Imagens como o Shutterstock, istock. Sem contar que ele também direciona parte de seus ganhos para instituições voltadas à proteção animal. 

Assim até a FIFA aprova.  ;)

quarta-feira, 19 de fevereiro de 2014

Dog Art pelo mundo


Criada especialmente para uma exposição em Newport Beach nos Estados Unidos, a escultura "Bad Dog" do artista Richard Jackson, foi uma incrível instalação temporária no Museu de Arte Orange County. O "filhote", de quase 9 metros de altura, tinha a perna levantada ao lado do museu e foi equipado para pulverizar tinta amarela na lateral do prédio. Para que se tenha noção do tamanho da instalação, observe o visitante diante da pata dianteira do bichinho. ;)

Outro gigante criado para fazer parte do Festival Smithsoniano de Folclore, que aconteceu no ano passado em Washington DC, a escultura do cão Puli foi instalada pelo artista Gábor Miklós Szőke usando tiras estreitas de madeira pintadas de preto. O cão Puli, pertence a uma raça húngara com aproximadamente mil anos, que era usada como cão de pastoreio. O que acham da semelhança?






Já o casal de artistas Dennis e Frances foram além. Eles chegaram a criar 60 esculturas de diferentes raças sendo que algumas delas sob encomenda a partir de pedidos de clientes para que criassem peças especiais para seus amigos caninos. Depois de trabalharem durante anos esculpindo cães de diversas raças, eles acabaram por criar o Dog Bark Park Inn no estado de Idaho, um Bed & Breakfast único, no formato de beagle gigante. Querem conhecer? Vejam em www:dogbarkparkinn.com 

 

E completando nossa viagem, que tal conhecer o Aomori Museum of Art no Japão? Nele, o artista pop japonês Yoshitomo Nara expõe sua escultura gitante de cão, que empolga e diverte os visitantes. http://www.aomori-museum.jp/en/