Google+ Followers

quinta-feira, 29 de novembro de 2012

Vira-Lata


Origem
Os vira-latas são os cães mais simpáticos que existem. Na aparência, no comportamento, na saúde, em tudo. São muito dóceis, amigos leais e vigilantes ao extremo. Uma mistura de raças, nos receituários de clínicas veterinárias são denominados de SRD (Sem Raça Definida). O nome vira-lata vem do fato de muitos desses cães, abandonados e perambulando pelas ruas famintos, viram latas de lixo à procura do que comer. 



Não compre, adote!
Existem várias campanhas acontecendo no Brasil e no mundo em torno do tema "Não compre, adote". O objetivo é informar que cada animal comprado, faz com que outro seja condenado à morte nos abrigos. Parece forte, mas é a pura realidade. Se cada indivíduo que deseja a companhia de um bichinho, buscasse seu amigo em espaços de adoção, não haveria tanto animal em abrigos por aí. 




Mudança
Segundo levantamento feito pelo Instituto Datafolha, que entrevistou 613 donos de cães na cidade de São Paulo, apenas 26% dos pets foram comprados. Conclui-se, portanto, que o restante não tenha pedigree ou raça definida. Isso já mostra uma consciência de que amor não precisa de pedigree. Então, dê você também uma segunda chance para quem só precisa de comida, água e muito carinho.


Curiosidades
Os vira-latas têm legiões e legiões de fãs, alguns deles famosos: o pintor carioca hiper-realista, Jorge Eduardo, com obras no acervo do Metropolitan Museum de Nova York e em galerias de arte espalhadas pelo mundo, fundou uma instituição, se é que pode ser assim chamada, entre amigos, com o sugestivo nome de “Vira-lata Dormindo”. Segundo ele, o “Vira-lata Dormindo” cumpre fielmente seu papel de não dar lucro algum e manter seu espírito irreverente ao longo dos anos.



domingo, 25 de novembro de 2012

Terrier Brasileiro ou Fox Paulistinha


Origem
Também conhecido como fox paulistinha, o terrier brasileiro, embora tenha ocorrências em vários estados do Brasil, foi mais comum em São Paulo, daí o nome fox paulistinha. As origens são hipotéticas. Há quem diga que foram trazidos da Europa pelas esposas e filhos de fazendeiros em meados do século XIX e início do século XX. Outra hipótese é a de que esses cães viajavam nos navios mercantes, principalmente ingleses, para caçar ratos e evitar a peste negra. Assim, ao aportar aqui no Brasil, teriam cruzado com cães nativos surgindo a raça. É um cão muito ativo, alerta e esperto, gentil com o dono e amigos e desconfiado com estranhos. Muito inteligente e brincalhão, é ideal como companhia de crianças.


Aparência
O terrier brasileiro tem pelo curto e porte pequeno. Os machos medem entre 35 e 40 cm e podem pesar até 10 kg. As fêmeas são um pouco menores. A coloração é tricolor, com o corpo de fundo branco e manchas pretas e marrons ou cinzas salpicadas ao longo do corpo. As orelhas são pendentes, os olhos castanho-escuros e a cauda tem uma curiosidade: pode nascer inteira, curta ou sem cauda, dependendo da linhagem.

Saúde
A raça é muito forte e não há registros de problemas específicos. Mas, visitas ao veterinário sempre são bem-vindas e alguns cuidados devem ser tomados. Recomenda-se a vermifugação e vacinação frequentes e uma boa alimentação, rica em substâncias energéticas de boa qualidade, com vitaminas e minerais bem balanceados. Como ele tem o metabolismo muito intenso, o gasto de energia é elevado. O fox terrier brasileiro pode chegar aos 18 ou até 20 anos de idade em perfeitas condições.

Curiosidades
É um exímio caçador de roedores. Se você quer ter um local livre de ratos, tenha um fox terrier brasileiro. A primeira tentativa de reconhecimento da raça foi em 1964, mas como havia baixo número de registros o processo foi cancelado. Em 1995 a raça recebeu o reconhecimento provisório e em 2006, o definitivo, na FCI, com sede na Bélgica.



terça-feira, 20 de novembro de 2012

Spitz Alemão ou Lulu da Pomerânia



Origem
Também conhecido como lulu da pomerânia, o spitz alemão, anão ou pequeno, é uma raça de cães muito antiga, com reconhecimento oficial no século XIX.

São cãezinhos extremamente dóceis e grandes companheiros. Gostam da companhia dos donos, mas aguentam bem a solidão por boas horas. São lindos e chamam a atenção de todos por onde passam. Quem não gostaria de ter um brinquedinho vivo desses?


Aparência
O que mais chama a atenção no spitz é a sua exuberante pelagem, sedosa e muito bem armada. Os olhos são amendoados e as orelhas pequenas e pontudinhas dão a ele a aparência de uma raposa. Na verdade, o spitz seria facilmente confundido com uma bolinha de pelos caminhante de tão fofo que é.

Saúde
Embora seja um cão muito saudável, pode apresentar problemas de saúde. No spitz alemão é muito comum a luxação da patela. Podem ocorrer problemas nos olhos, mas é mais raro. A boa escolha das matrizes é fundamental para que o cãozinho apresente o menor número de problemas possível. Restos de comida e carne de porco são expressamente proibidos.


Curiosidades
O nome Pomerânia vem da pequena região entre a Alemanha e a Polônia, de onde vem a raça. A Rainha Charlotte, esposa de George III da Inglaterra, importou um casal em 1767 e deu-lhes os nomes de Phoebe e Mercúrio. Ela era tão apaixonada pela raça que mandou pintar vários quadros que hoje podem ser vistos em diversos locais em Londres. Mais tarde, a Rainha Vitória também se envolveu com a raça em 1888 quando viajava pela Itália. Quando morreu, seu spitz favorito, Turi, estava ao seu lado.


sábado, 17 de novembro de 2012

Cão de Água Português

Origem
O cão de água português tem origem em Algarve, na costa de Portugal. Evidências indicam que, em tempos pré-cristãos, o cão de água foi considerado quase sagrado e existem muitas teorias que envolvem este cão. A primeira descrição do cão de água português diz respeito a um texto de um monge datado de 1297. Nele, o monge conta a história de um marinheiro que estava morrendo no mar e que foi levado para terra firme por um cão que tinha um casaco de "pelo áspero negro, cortado à primeira costela e com um tufo na ponta da cauda". Muitos escritos descrevem a raça como um "cão leão". Diz-se que o poodle de hoje, o kerry blue terrier e spaniel de água irlandês são possivelmente ancestrais do cão de água.

Característica
Este cão de trabalho foi valorizado pelos pescadores como um companheiro e cão de guarda. Ele viveu nos barcos onde foi treinado para pescar - guiando cardumes para as redes, para recuperar equipamento perdido ou redes quebrados, e para atuar como um mensageiro de navio para navio, ou embarcação para terra.
O cão de água é um animal de espirituoso, obstinado, corajoso e muito resistente à fadiga. Um cão de inteligência excepcional e um companheiro leal. Ele obedece seu dono com facilidade e prazer aparente. É obediente com aqueles que cuidam dele ou com aqueles para quem ele trabalha.

O início da raça moderna
Em 1930, Vasco Bensaude, um rico empresário Português com especial interesse em cães, foi apresentado ao cão de água português por amigos. Ele foi informado sobre o trabalho maravilhoso deste animal e, embora houvesse apenas uns poucos cães ainda trabalhando nos barcos dos pescadores, ele finalmente adquiriu um cão chamado "Leão". "Leão" (1931-1942) foi o pai fundador da raça moderna e aquele em que o padrão da raça original escrito foi baseado. A primeira ninhada nasceu em 1 de maio de 1937, no Canil Algarbiorum.


O cão de água português na Casa Branca
A fama recente do peludo se deu por conta de Bo. Este especial morador da Casa Branca foi presente do presidente Barack Obama para suas filhas e passou a ser notícia pelo mundo todo. Você já o conhecia, não?  ;)



quinta-feira, 8 de novembro de 2012

Shih-Tzu


Origem
A raça é originária da China e o nome vem de “cão leão”, pois foi desenvolvida para parecer um leão em miniatura. O shih-tzu é parente próximo do lhasa apso. São cães extremamente dóceis e adoram cafuné. Adaptam-se perfeitamente a espaços pequenos e são muito bem educados quando o assunto é xixi e cocô. É só ensiná-los a fazer as necessidades em determinado espaço e pronto. Adoram crianças e têm uma característica: com seu jeitinho todo especial, acabam dominando seus donos.


Aparência
Na verdade, o shih-tzu parece um brinquedinho vivo. A pelagem é comprida e sedosa. A cabeça é redonda e os olhos bem separados. A altura vai de 20 a 28cm e o peso fica em torno de 3,5 e 7,5kg, mas o padrão mínimo de peso exigido é de 4,5kg. As cores mais comuns são branco e dourado, preto e branco, branco e fígado, branco e mogno e há os mesclados tricolores.

Saúde
Trata-se de um cão muito saudável, mas há casos de doenças e entre as mais comuns estão problemas nas articulações, otites e problemas nos olhos. O shih-tzu é pouco resistente ao calor e os problemas respiratórios são muito frequentes. A dieta deve ser muito bem controlada para evitar a obesidade. Visitas constantes ao veterinário são muito bem-vindas.

Curiosidades
O shih-tzu é uma das mais antigas raças existentes. Existe uma lenda que diz que o shih-tzu é o símbolo do amor impossível. Havia uma princesa chinesa e um mongol que se apaixonaram. Proibidos de casar, eles resolveram cruzar um cão legítimo representante da China, o pequinês, com um lhasa apso, cão do Tibete, onde os mongóis são o povo predominante e assim teria nascido o shih-tzu.

Shar Pei


Origem
O shar pei foi desenvolvido na China e sua origem, assim como muitas outras raças, é incerta. Também conhecido como cão chinês de combate, há quem diga que ele é descendente do chow chow. Há controvérsias a esse respeito, porém sua língua azul deixa grandes suspeitas. É um cão muito antigo e pode ter surgido no Tibete ou no Norte da China há 20 séculos. Na antiguidade, o shar pei era um excelente caçador de javalis e cão de guarda e pastoreio.

Aparência
Sua principal característica é a pele macia e excessivamente enrugada. É um cão ágil e forte e pode medir entre 44 e 51cm. Pode ter todas as cores, menos o branco. As orelhas são pequenas e coladas à cabeça. A cauda é grossa e redonda na raiz. Alguns exemplares devem fazer cirurgia plástica, pois a pele pode cair sobre os olhos atrapalhando sua visão.

Saúde
O maior problema do shar pei é sua pele excessiva. Problemas de pele são comuns e trata-se de um cão extremamente alérgico. Muitos não suportam as coleiras anti-pulgas. A escovação cuidadosa é recomendada para observar se há parasitas e fungos nas dobras da pele. Banho apenas uma vez por mês e com shampoos recomendados pelo veterinário. O shar pei também é muito sensível ao sol. Podem ocorrer otites, problemas nos olhos (mais uma vez devido ao excesso de pele) e ainda problemas renais e de fígado.

Curiosidades
O shar pei tem uma história dramática. Durante a revolução chinesa, em 1949, a raça quase foi extinta. Era proibido ter cães em casa, a não ser no campo e se o camponês provasse que o cão era usado para caçar. Mas o resto da população pagava multas absurdas pela posse do cão. O resultado foi a matança, ou melhor, o massacre dos cães. A desnutrição, nessa época, fez com que a raça diminuísse de tamanho nas gerações seguintes. Mas, felizmente, sobreviveram a Mao Tse Tung e a seus soldados.

quinta-feira, 1 de novembro de 2012

Setter Irlandês


Origem
O setter irlandês tem uma longa história. São exímios caçadores de aves e muito inteligentes. O setter irlandês é um excelente companheiro, dócil e muito leal ao seu dono. A raça evoluiu para se tornar um cão robusto e saudável, com grande resistência para o trabalho e a caça. Adora correr e nadar.

Aparência
É um cão de porte grande, com pelagem comprida e macia. No tronco e membros, o pelo tem comprimento médio e liso. Nas orelhas e nas partes traseiras das pernas, é longo e sedoso. A cor é castanha-avermelhada, sem traços de preto. Em alguns exemplares pode ocorrer pelagem branca no peito e nas patas, em forma de estrela na testa ou uma listra estreita no focinho. Os machos medem de 58 a 67 cm. As fêmeas são um pouco menores.

Saúde
O setter irlandês é normalmente saudável, porém com tendências a doenças genéticas. As principais ocorrências são problemas gástricos, displasia coxo-femural, atrofia progressiva da retina, epilepsia, hipotiroidismo, osteossarcoma, artrite e mielopatia. Portanto, todo cuidado é pouco e visitas regulares ao veterinário, altamente recomendáveis.


Curiosidades
Como o próprio nome diz, a raça foi desenvolvida na Irlanda com o cruzamento entre o setter irlandês ruivo e o branco, além da participação de outro cão de origem desconhecida. No século XVIII a raça já estava definida e o primeiro padrão foi oficialmente emitido em 1886. Em 1882 foi fundado o “Irish Red Setter Club” para promover a raça.

Setter Inglês


Origem
Como todos os setters, o inglês também descende dos spaniels. São exímios caçadores e ótimos companheiros, qualidade que ganhou mais destaque depois que as caçadas passaram a ser proibidas em quase todos os países. É um cão silencioso, dócil, atencioso, leal ao seu dono e de fácil adestramento. Gosta de crianças e é um cão muito bonito.

Aparência
É um cão de porte médio. Os machos medem de 65 a 68 cm e o peso pode chegar a 30 kg. As fêmeas são um pouco menores. A pelagem é longa e sedosa, levemente ondulada e, próxima aos membros anteriores e posteriores, cai em forma de franja. As cores são preta e branca, laranja e branca, limão e branca, fígado e branca e também tricolor em diversas combinações.

Saúde
Embora seja um cão robusto, pode apresentar problemas de saúde. Entre os mais comuns estão a cegueira e as alergias cutâneas. A pelagem deve ser muito bem cuidada para evitar o aparecimento de parasitas, pulgas e carrapatos. Há casos de catarata, conjuntivite e glaucoma. Displasia coxo-femural também pode ocorrer. O setter inglês pode viver até os doze anos.

Curiosidades
A raça setter inglês é a mais antiga dos cães de aponte, ou seja, aqueles que apontam a caça assim que a percebem. O setter inglês como conhecemos hoje foi desenvolvida a partir de 1825 pelo Sir Edward Lawerack. Reza a lenda que Sir Lawerack passou mais de cinquenta anos selecionando a raça. Após sua morte, o setter continuou a ser aperfeiçoado por outros criadores.