Google+ Followers

quinta-feira, 29 de novembro de 2012

Vira-Lata


Origem
Os vira-latas são os cães mais simpáticos que existem. Na aparência, no comportamento, na saúde, em tudo. São muito dóceis, amigos leais e vigilantes ao extremo. Uma mistura de raças, nos receituários de clínicas veterinárias são denominados de SRD (Sem Raça Definida). O nome vira-lata vem do fato de muitos desses cães, abandonados e perambulando pelas ruas famintos, viram latas de lixo à procura do que comer. 



Não compre, adote!
Existem várias campanhas acontecendo no Brasil e no mundo em torno do tema "Não compre, adote". O objetivo é informar que cada animal comprado, faz com que outro seja condenado à morte nos abrigos. Parece forte, mas é a pura realidade. Se cada indivíduo que deseja a companhia de um bichinho, buscasse seu amigo em espaços de adoção, não haveria tanto animal em abrigos por aí. 




Mudança
Segundo levantamento feito pelo Instituto Datafolha, que entrevistou 613 donos de cães na cidade de São Paulo, apenas 26% dos pets foram comprados. Conclui-se, portanto, que o restante não tenha pedigree ou raça definida. Isso já mostra uma consciência de que amor não precisa de pedigree. Então, dê você também uma segunda chance para quem só precisa de comida, água e muito carinho.


Curiosidades
Os vira-latas têm legiões e legiões de fãs, alguns deles famosos: o pintor carioca hiper-realista, Jorge Eduardo, com obras no acervo do Metropolitan Museum de Nova York e em galerias de arte espalhadas pelo mundo, fundou uma instituição, se é que pode ser assim chamada, entre amigos, com o sugestivo nome de “Vira-lata Dormindo”. Segundo ele, o “Vira-lata Dormindo” cumpre fielmente seu papel de não dar lucro algum e manter seu espírito irreverente ao longo dos anos.



domingo, 25 de novembro de 2012

Terrier Brasileiro ou Fox Paulistinha


Origem
Também conhecido como fox paulistinha, o terrier brasileiro, embora tenha ocorrências em vários estados do Brasil, foi mais comum em São Paulo, daí o nome fox paulistinha. As origens são hipotéticas. Há quem diga que foram trazidos da Europa pelas esposas e filhos de fazendeiros em meados do século XIX e início do século XX. Outra hipótese é a de que esses cães viajavam nos navios mercantes, principalmente ingleses, para caçar ratos e evitar a peste negra. Assim, ao aportar aqui no Brasil, teriam cruzado com cães nativos surgindo a raça. É um cão muito ativo, alerta e esperto, gentil com o dono e amigos e desconfiado com estranhos. Muito inteligente e brincalhão, é ideal como companhia de crianças.


Aparência
O terrier brasileiro tem pelo curto e porte pequeno. Os machos medem entre 35 e 40 cm e podem pesar até 10 kg. As fêmeas são um pouco menores. A coloração é tricolor, com o corpo de fundo branco e manchas pretas e marrons ou cinzas salpicadas ao longo do corpo. As orelhas são pendentes, os olhos castanho-escuros e a cauda tem uma curiosidade: pode nascer inteira, curta ou sem cauda, dependendo da linhagem.

Saúde
A raça é muito forte e não há registros de problemas específicos. Mas, visitas ao veterinário sempre são bem-vindas e alguns cuidados devem ser tomados. Recomenda-se a vermifugação e vacinação frequentes e uma boa alimentação, rica em substâncias energéticas de boa qualidade, com vitaminas e minerais bem balanceados. Como ele tem o metabolismo muito intenso, o gasto de energia é elevado. O fox terrier brasileiro pode chegar aos 18 ou até 20 anos de idade em perfeitas condições.

Curiosidades
É um exímio caçador de roedores. Se você quer ter um local livre de ratos, tenha um fox terrier brasileiro. A primeira tentativa de reconhecimento da raça foi em 1964, mas como havia baixo número de registros o processo foi cancelado. Em 1995 a raça recebeu o reconhecimento provisório e em 2006, o definitivo, na FCI, com sede na Bélgica.



terça-feira, 20 de novembro de 2012

Spitz Alemão ou Lulu da Pomerânia



Origem
Também conhecido como lulu da pomerânia, o spitz alemão, anão ou pequeno, é uma raça de cães muito antiga, com reconhecimento oficial no século XIX.

São cãezinhos extremamente dóceis e grandes companheiros. Gostam da companhia dos donos, mas aguentam bem a solidão por boas horas. São lindos e chamam a atenção de todos por onde passam. Quem não gostaria de ter um brinquedinho vivo desses?


Aparência
O que mais chama a atenção no spitz é a sua exuberante pelagem, sedosa e muito bem armada. Os olhos são amendoados e as orelhas pequenas e pontudinhas dão a ele a aparência de uma raposa. Na verdade, o spitz seria facilmente confundido com uma bolinha de pelos caminhante de tão fofo que é.

Saúde
Embora seja um cão muito saudável, pode apresentar problemas de saúde. No spitz alemão é muito comum a luxação da patela. Podem ocorrer problemas nos olhos, mas é mais raro. A boa escolha das matrizes é fundamental para que o cãozinho apresente o menor número de problemas possível. Restos de comida e carne de porco são expressamente proibidos.


Curiosidades
O nome Pomerânia vem da pequena região entre a Alemanha e a Polônia, de onde vem a raça. A Rainha Charlotte, esposa de George III da Inglaterra, importou um casal em 1767 e deu-lhes os nomes de Phoebe e Mercúrio. Ela era tão apaixonada pela raça que mandou pintar vários quadros que hoje podem ser vistos em diversos locais em Londres. Mais tarde, a Rainha Vitória também se envolveu com a raça em 1888 quando viajava pela Itália. Quando morreu, seu spitz favorito, Turi, estava ao seu lado.


sábado, 17 de novembro de 2012

Cão de Água Português

Origem
O cão de água português tem origem em Algarve, na costa de Portugal. Evidências indicam que, em tempos pré-cristãos, o cão de água foi considerado quase sagrado e existem muitas teorias que envolvem este cão. A primeira descrição do cão de água português diz respeito a um texto de um monge datado de 1297. Nele, o monge conta a história de um marinheiro que estava morrendo no mar e que foi levado para terra firme por um cão que tinha um casaco de "pelo áspero negro, cortado à primeira costela e com um tufo na ponta da cauda". Muitos escritos descrevem a raça como um "cão leão". Diz-se que o poodle de hoje, o kerry blue terrier e spaniel de água irlandês são possivelmente ancestrais do cão de água.

Característica
Este cão de trabalho foi valorizado pelos pescadores como um companheiro e cão de guarda. Ele viveu nos barcos onde foi treinado para pescar - guiando cardumes para as redes, para recuperar equipamento perdido ou redes quebrados, e para atuar como um mensageiro de navio para navio, ou embarcação para terra.
O cão de água é um animal de espirituoso, obstinado, corajoso e muito resistente à fadiga. Um cão de inteligência excepcional e um companheiro leal. Ele obedece seu dono com facilidade e prazer aparente. É obediente com aqueles que cuidam dele ou com aqueles para quem ele trabalha.

O início da raça moderna
Em 1930, Vasco Bensaude, um rico empresário Português com especial interesse em cães, foi apresentado ao cão de água português por amigos. Ele foi informado sobre o trabalho maravilhoso deste animal e, embora houvesse apenas uns poucos cães ainda trabalhando nos barcos dos pescadores, ele finalmente adquiriu um cão chamado "Leão". "Leão" (1931-1942) foi o pai fundador da raça moderna e aquele em que o padrão da raça original escrito foi baseado. A primeira ninhada nasceu em 1 de maio de 1937, no Canil Algarbiorum.


O cão de água português na Casa Branca
A fama recente do peludo se deu por conta de Bo. Este especial morador da Casa Branca foi presente do presidente Barack Obama para suas filhas e passou a ser notícia pelo mundo todo. Você já o conhecia, não?  ;)



quinta-feira, 8 de novembro de 2012

Shih-Tzu


Origem
A raça é originária da China e o nome vem de “cão leão”, pois foi desenvolvida para parecer um leão em miniatura. O shih-tzu é parente próximo do lhasa apso. São cães extremamente dóceis e adoram cafuné. Adaptam-se perfeitamente a espaços pequenos e são muito bem educados quando o assunto é xixi e cocô. É só ensiná-los a fazer as necessidades em determinado espaço e pronto. Adoram crianças e têm uma característica: com seu jeitinho todo especial, acabam dominando seus donos.


Aparência
Na verdade, o shih-tzu parece um brinquedinho vivo. A pelagem é comprida e sedosa. A cabeça é redonda e os olhos bem separados. A altura vai de 20 a 28cm e o peso fica em torno de 3,5 e 7,5kg, mas o padrão mínimo de peso exigido é de 4,5kg. As cores mais comuns são branco e dourado, preto e branco, branco e fígado, branco e mogno e há os mesclados tricolores.

Saúde
Trata-se de um cão muito saudável, mas há casos de doenças e entre as mais comuns estão problemas nas articulações, otites e problemas nos olhos. O shih-tzu é pouco resistente ao calor e os problemas respiratórios são muito frequentes. A dieta deve ser muito bem controlada para evitar a obesidade. Visitas constantes ao veterinário são muito bem-vindas.

Curiosidades
O shih-tzu é uma das mais antigas raças existentes. Existe uma lenda que diz que o shih-tzu é o símbolo do amor impossível. Havia uma princesa chinesa e um mongol que se apaixonaram. Proibidos de casar, eles resolveram cruzar um cão legítimo representante da China, o pequinês, com um lhasa apso, cão do Tibete, onde os mongóis são o povo predominante e assim teria nascido o shih-tzu.

Shar Pei


Origem
O shar pei foi desenvolvido na China e sua origem, assim como muitas outras raças, é incerta. Também conhecido como cão chinês de combate, há quem diga que ele é descendente do chow chow. Há controvérsias a esse respeito, porém sua língua azul deixa grandes suspeitas. É um cão muito antigo e pode ter surgido no Tibete ou no Norte da China há 20 séculos. Na antiguidade, o shar pei era um excelente caçador de javalis e cão de guarda e pastoreio.

Aparência
Sua principal característica é a pele macia e excessivamente enrugada. É um cão ágil e forte e pode medir entre 44 e 51cm. Pode ter todas as cores, menos o branco. As orelhas são pequenas e coladas à cabeça. A cauda é grossa e redonda na raiz. Alguns exemplares devem fazer cirurgia plástica, pois a pele pode cair sobre os olhos atrapalhando sua visão.

Saúde
O maior problema do shar pei é sua pele excessiva. Problemas de pele são comuns e trata-se de um cão extremamente alérgico. Muitos não suportam as coleiras anti-pulgas. A escovação cuidadosa é recomendada para observar se há parasitas e fungos nas dobras da pele. Banho apenas uma vez por mês e com shampoos recomendados pelo veterinário. O shar pei também é muito sensível ao sol. Podem ocorrer otites, problemas nos olhos (mais uma vez devido ao excesso de pele) e ainda problemas renais e de fígado.

Curiosidades
O shar pei tem uma história dramática. Durante a revolução chinesa, em 1949, a raça quase foi extinta. Era proibido ter cães em casa, a não ser no campo e se o camponês provasse que o cão era usado para caçar. Mas o resto da população pagava multas absurdas pela posse do cão. O resultado foi a matança, ou melhor, o massacre dos cães. A desnutrição, nessa época, fez com que a raça diminuísse de tamanho nas gerações seguintes. Mas, felizmente, sobreviveram a Mao Tse Tung e a seus soldados.

quinta-feira, 1 de novembro de 2012

Setter Irlandês


Origem
O setter irlandês tem uma longa história. São exímios caçadores de aves e muito inteligentes. O setter irlandês é um excelente companheiro, dócil e muito leal ao seu dono. A raça evoluiu para se tornar um cão robusto e saudável, com grande resistência para o trabalho e a caça. Adora correr e nadar.

Aparência
É um cão de porte grande, com pelagem comprida e macia. No tronco e membros, o pelo tem comprimento médio e liso. Nas orelhas e nas partes traseiras das pernas, é longo e sedoso. A cor é castanha-avermelhada, sem traços de preto. Em alguns exemplares pode ocorrer pelagem branca no peito e nas patas, em forma de estrela na testa ou uma listra estreita no focinho. Os machos medem de 58 a 67 cm. As fêmeas são um pouco menores.

Saúde
O setter irlandês é normalmente saudável, porém com tendências a doenças genéticas. As principais ocorrências são problemas gástricos, displasia coxo-femural, atrofia progressiva da retina, epilepsia, hipotiroidismo, osteossarcoma, artrite e mielopatia. Portanto, todo cuidado é pouco e visitas regulares ao veterinário, altamente recomendáveis.


Curiosidades
Como o próprio nome diz, a raça foi desenvolvida na Irlanda com o cruzamento entre o setter irlandês ruivo e o branco, além da participação de outro cão de origem desconhecida. No século XVIII a raça já estava definida e o primeiro padrão foi oficialmente emitido em 1886. Em 1882 foi fundado o “Irish Red Setter Club” para promover a raça.

Setter Inglês


Origem
Como todos os setters, o inglês também descende dos spaniels. São exímios caçadores e ótimos companheiros, qualidade que ganhou mais destaque depois que as caçadas passaram a ser proibidas em quase todos os países. É um cão silencioso, dócil, atencioso, leal ao seu dono e de fácil adestramento. Gosta de crianças e é um cão muito bonito.

Aparência
É um cão de porte médio. Os machos medem de 65 a 68 cm e o peso pode chegar a 30 kg. As fêmeas são um pouco menores. A pelagem é longa e sedosa, levemente ondulada e, próxima aos membros anteriores e posteriores, cai em forma de franja. As cores são preta e branca, laranja e branca, limão e branca, fígado e branca e também tricolor em diversas combinações.

Saúde
Embora seja um cão robusto, pode apresentar problemas de saúde. Entre os mais comuns estão a cegueira e as alergias cutâneas. A pelagem deve ser muito bem cuidada para evitar o aparecimento de parasitas, pulgas e carrapatos. Há casos de catarata, conjuntivite e glaucoma. Displasia coxo-femural também pode ocorrer. O setter inglês pode viver até os doze anos.

Curiosidades
A raça setter inglês é a mais antiga dos cães de aponte, ou seja, aqueles que apontam a caça assim que a percebem. O setter inglês como conhecemos hoje foi desenvolvida a partir de 1825 pelo Sir Edward Lawerack. Reza a lenda que Sir Lawerack passou mais de cinquenta anos selecionando a raça. Após sua morte, o setter continuou a ser aperfeiçoado por outros criadores.

domingo, 21 de outubro de 2012

Schnauzer


Origem
As origens do schnauzer são um pouco confusas. Os primeiros registros existentes datam do século XV, onde hoje é a região da Bavária na Alemanha. Os cães criados na época eram do tamanho standard e eram usados principalmente no pastoreio de ovelhas, mas também desempenharam um eficiente papel de caça (neste caso, a característica de um terrier).

Do alemão schnauz, significa focinho, queixo, bigode.


Os criadores alemães sempre consideraram o schnauzer como um cão de trabalho em função de sua vocação para caçar ratos e proteger. Antes da Primeira Guerra Mundial, eles eram utilizados na Alemanha para guardar os carrinhos de produtos agrícolas nas praças, enquanto os agricultores descansavam. Devido a sua sagacidade e valentia, os "cães com o cérebro humano" (como seus proprietários gostam de chamá-los) foram também muito usados ​​pelo exército durante a guerra e junto à Cruz Vermelha. Neste país eles também foram usados no trabalho da polícia. Além da Alemanha, eram usados como guarda e companhia também na Itália. 

Aparência
O schnauzer tem três versões: miniatura ou anão, Standard e gigante. E as cores encontradas são preta, preta e prata e branca. É um cão de aparência interessante, com longos bigodes, barba e sobrancelhas. A pelagem é abundante e é um cão muito forte e robusto.
É um cão muito inteligente e leal aos donos e não faz cerimônia em latir pra valer quando o assunto é proteger seu território e as pessoas de quem gosta.

Saúde
O schnauzer, especialmente o gigante, é um cão robusto e muito forte, portanto, resistente a doenças. Mas elas ocorrem e as mais comuns são otite, displasia coxo-femural, dermatites – que podem ser alérgicas ou por contaminação de bactérias e fungos – problemas renais e catarata. É sempre bom manter as visitas regulares ao veterinário.

Curiosidades
O schnauzer é conhecido pela paixão que sente pelos cavalos. Desde a antiguidade, na Europa Central, os comboios que seguiam pelos bosques levavam schnauzers para suas travessias junto aos cavalos. À noite, os cães serviam de guarda. Há registros de schnauzers em pinturas de meados do século XV de Dürer e Rembrandt, dentre outros.

São Bernardo


Origem
A raça é originária dos Alpes e foi criada para ajudar em resgates e outros trabalhos. O cão são bernardo é famoso pela sua lealdade, vigilância e espírito solidário. Adora crianças e se dá bem com outros animais. Pode ser usado com cão de guarda, pois seu tamanho intimida estranhos. Mas, na realidade, é um cão muito dócil.

Aparência
Trata-se de um cão de grande porte que pode chegar a medir até 70 cm e pesar entre 60 e 80 kg. As fêmeas são um pouco menores. É robusto, musculoso e muito inteligente. A pelagem é densa e dupla. O pelo é liso, macio e mais abundante na cauda. As cores são o branco e o vermelho em diversas tonalidades, predominando uma ou outra cor.

Saúde
Como todo e qualquer cão, o são bernardo necessita de alguns cuidados com a saúde, apesar de ser um cão bem forte. A escovação é recomendada até duas vezes por semana, pouco banho e controle com a alimentação, para que não fiquem obesos. Adaptam-se facilmente aos climas quentes. Os principais problemas apresentados pelo são bernardo são a displasia da anca e cotovelos, torção e dilatação gástrica e dermatites. Nada que o seu veterinário não possa resolver.


Curiosidades
É um cão dorminhoco. Quando acorda cheio de energia, corre, pula e brinca e, mais ou menos uma hora depois, volta a dormir. 

O nome vem do Albergue do Passo de São Bernardo, nos Alpes, a 2.469 m de altitude. Os monges do albergue possuíam cães grandes para sua defesa e após cruzamentos com outros cães de montanha, surgiu a raça como a conhecemos hoje. 

O são bernardo mais famoso de que se tem notícia é o Barry, que salvou em torno de 40 vidas e tem seu corpo preservado no Museu de História Natural de Berna, na Suíça.


Rotweiller


Origem
Esta é uma raça de cães muito antiga. Há registros de que os romanos utilizavam rotweillers como cães de guarda e boiadeiros. Mas os rotweillers como conhecemos hoje provavelmente migraram através do Alpes com as legiões romanas e, nos arredores de Rotweil, na Alemanha, cruzaram com os cães da região. Ao contrário do que muita gente pensa, o rotweiller é muito amável com crianças e com seus donos, mas são pouco amigáveis com pessoas estranhas.

Aparência
É um cão de porte grande, forte e muito resistente. É cão de guarda e defende pra valer o seu território. O macho varia de 61 a 68 cm de altura e pode pesar entre 45 e 65 kg. As fêmeas são um pouco menores. Os rotweillers existem nas cores marrom e preto, mas é possível encontrar uma mistura de pitbull terrier com rotweiller em preto e branco: patas e peito brancos e o resto do corpo, preto.


Saúde
O rotweiller apresenta pouquíssimos problemas de saúde. Entre eles, o mais comum é a displasia coxo-femural. A alimentação deve ser balanceada para evitar a obesidade e as fêmeas gestantes devem ter cuidado especial com a alimentação para garantir uma perfeita ninhada.

Curiosidades
Em 1910 o rotweiller foi reconhecido oficialmente como um cão policial. A Cruz Vermelha utiliza rotweillers em salvamentos e a PM de São Paulo e o Exército Brasileiro também utilizam os rotweillers em operações especiais e como guarda pessoal do alto escalão dessas instituições. O rotweiller está entre os 10 cães mais inteligentes do mundo.


domingo, 14 de outubro de 2012

Poodle


A raça
O poodle é considerado a segunda raça canina mais inteligente do mundo. Brincalhões, ótimos nadadores e caçadores são dóceis e gostam da companhia das pessoas por quem são afeiçoados. Por serem muito inteligentes ficam entediados com facilidade. E isso os transforma em cãezinhos bastante levados. Funcionam bem como cães de guarda e os poodles gigante e médio adoram crianças.

Aparência
É um cão que varia nos tamanhos: o gigante pode medir entre 45 e 60 cm, o médio varia de 35 a 45 cm, o mini vai dos 28 aos 35 cm e o toy chega no máximo aos 28 cm de altura. As cores são variáveis, o focinho é regular, as orelhas pendentes e a pelagem é densa, crespa e macia. Os olhos podem ser marrons, âmbar escuros ou pretos, dependendo da cor da pelagem, que pode ser preá, branca, marrom ou chocolate, cinza e abricó.

Saúde
São cães muito saudáveis, mas com a idade podem apresentar problemas, portanto, o veterinário tem que estar sempre por perto. Os problemas mais comuns são catarata, entropia, epilepsia, degeneração do disco intervertebral e atrofia progressiva da retina, entre outros. Todos os poodles têm tendência a desenvolver câncer de mama, por isso é bom ficar sempre atento.


Curiosidades
Em espanhol, o poodle é chamado de “perro de lana”, que significa “cão de lã”. Especula-se que o corte tradicional dos pelos em forma de bracelete nas pernas era usado antigamente nas caçadas na neve: o pelo era tosado baixo para facilitar a movimentação do cão e as juntas eram protegidas com a pelagem para proteger pulmões, coração e rins do frio. O pompom no fim da cauda servia como bandeira de sinalização. 


Há quem diga que sua origem é francesa, outros dizem que é ibérica e há os que afirmam que são alemães ou russos. Alguns poodles famosos: Vicki, de Richard Nixon, Rufus, de Winston Churchill e a Belinha, cadela que cresceu no programa Mais Você da Rede Globo, junto de sua dona, a apresentadora Ana Maria Braga.


sábado, 6 de outubro de 2012

Pointer Inglês


Origem
Para variar, foram os britânicos que conseguiram transformar, no final do século XIX, o seu pointer em um cão espetacular, resistente e faro excepcional. Pointer, em inglês, quer dizer “indicador” e esta é a principal característica desse cão: descobre a caça e, sem a menor cerimônia, entrega seu paradeiro. São dóceis, amáveis com o dono e extremamente fiéis, além de muito inteligentes.


Aparência
É um cão de design ágil, feito para velocidade e facilidade de movimentos. Suporta correr por grandes distâncias. Os olhos são grandes, redondos e brilhantes e seu olhar é altivo e fixo. As orelhas são caídas, suaves, finas, dobráveis, triangulares e achatadas. A cauda é inserida na linha da garupa e é grossa afinando na ponta. A pelagem é densa, curta e reluzente. O pointer tem porte grande e sua altura fica entre 55 e 62 cm podendo chegar aos 30 kg. As fêmeas são um pouco menores.

Saúde
Trata-se de um cão forte, resistente e sem tendências a problemas genéticos como outras raças. Mas, podem surgir problemas. Muito cuidado com os olhos e ouvidos. Pode ocorrer entrópio, quando as bordas das pálpebras são viradas para dentro, e fechamento do canal auditivo e otites, por isso é recomendada a limpeza constante dos ouvidos. Calosidades nas patas são outros problemas que podem acontecer, mas isso pode ser controlado evitando-se que o cão durma em superfícies duras ou ásperas. Cuidado também com a obesidade. A elegância é uma das características principais do pointer inglês.

Curiosidades
O pointer é famoso pela sua pose quando percebe a caça. Ele fica imóvel, com a pata dianteira dobrada e apontando o focinho na direção da caça, com a cauda retesada. A origem do pointer é bem controversa. Há que afirme que ele surgiu na Espanha e outros juram que ele é um autêntico inglês, surgido a partir de cruzamentos de bloodhounds, foxhounds e greyhounds. A raça foi apresentada pela primeira vem em exposições em 1859, em Newcastle-on-Tyne, Northumberland, Inglaterra, e desde então não parou de fazer sucesso. No Brasil, o pointer é chamado também de perdigueiro.

Miniatura Pinscher


A raça
Trata-se de, aparentemente, um dobermann em miniatura. Assim é o pinscher. Esbelto e pequeno, costuma ser histérico quando o assunto é guardar a casa. Por isso mesmo, apesar de seu tamanho reduzido, é considerado um cão de guarda. E é bom ter cuidado com seu convívio com crianças. O pinscher não gosta de surpresas e uma simples brincadeira pode se apresentar como uma ameaça para ele.


Aparência
É um cão pequeno e pode medir de 25 a 30 cm de altura. A pelagem é curta e densa e as cores são em várias tonalidades de marrom e preto, com marcas marrons bem definidas na cabeça, no focinho, acima dos olhos, no queixo e na garganta. É a menor raça de cães de guarda classificada pela Federação Cinológica Internacional.

Saúde
É um cãozinho muito saudável, podendo ultrapassar os 15 anos de vida. Mas cuidado com a alimentação: o pinscher tem tendência a ficar gordinho. Por isso a alimentação deve ser bem balanceada e controlada. Cuidado também com as quedas. Como o cão é muito pequeno e atrevido, não mede as consequências de um tombo de altura inadequada ao seu tamanho.

Curiosidades
É bom acostumar o pinscher a outros cães para evitar brigas. É um baixinho invocado e enfrenta qualquer parada, sem medo e com muito barulho. Apesar de ser mínimo, o pinscher desfila, em exposições de cães de guarda ao lado de dobermanns, boxers e até rotweillers.

sábado, 29 de setembro de 2012

Pequinês


Origem
A raça é muito antiga, originária da China. Pequeno, bem equilibrado e valente, o pequinês é tido por muitos como um chato, barulhento e irritadinho. Foram os cães favoritos da corte imperial chinesa e eram chamados de “fu lin”. Eram considerados os espíritos guardiães e foram representados em várias obras de arte. A raça tem mais de 2.000 anos de existência e mudou muito pouco até hoje. Provavelmente é resultado de cruzamentos de maltês e terriers tibetanos, os mesmos que originaram o lhasa apso. É um cão amigo, leal, adora crianças e é muito ciumento.


Aparência
O pequinês parece um leãozinho e pode pesar entre 2 e 8kg. A cor mais comum é o avermelhado, mas o bronze é também muito comum. Porém, os dourados são os preferidos para as exposições e concursos de beleza. E os que mais impressionam, pela  raridade, são os totalmente brancos ou pretos. Mas todas as cores e manchas são aceitas. A pelagem é longa, com franjas nas orelhas, membros, cauda e patas. As pernas são arqueadas, o que tornam o seu andar bastante peculiar.

Saúde
Pequineses costumam apresentar problemas nos olhos e no sistema respiratório, além de alergias de pele. Um dos cuidados com o pequinês é mantê-lo sempre dentro de casa, pois ele tem dificuldades em regular a temperatura corporal e não se dá bem com muito calor ou muito frio. Suas pernas arqueadas também podem se tornar um problemas na velhice, dificultando o animal a subir e descer escadas, por exemplo. Escovação uma vez ao dia também é recomendada.

Curiosidades
A raça foi criada para fazer companhia ao imperador, às suas esposas e aos eunucos, por isso foi desenvolvida para ter as pernas arqueadas. Assim, com as pernas tortinhas, o cão ficaria desestimulado a perambular. Mesmo assim, o pequinês adora caminhar e correr e sempre que tem espaço ninguém o segura. Mas, mesmo sendo o queridinho das cortes chinesas desde a dinastia Ming, o pequinês quase teve um fim trágico quando terminou o reinado da Última Imperatriz, Tzu Hsi. Após a sua morte, os serviçais da corte mataram a maior parte dos cãezinho para evitar que eles caíssem em mãos indignas. Alguns fugiram e se não fosse a raça estar bem estabelecida no Ocidente, poderia ter sido extinta.


Pastor Alemão


Origem
Suas origens remontam ao período paleolítico, quando os homens, em suas caçadas, eram acompanhados por matilhas selvagens. No período neolítico, com a criação de ovelhas, os povos que habitavam a atual Alemanha precisavam de um cão forte e rápido para proteger os rebanhos. Durante 3 mil anos os alemães foram aprimorando esses cães de pastoreio a cada geração e, em 1882 houve a seleção definitiva e reconhecida de pastores alemães. É um bom cão de guarda, muito inteligente e de fácil adestramento.


Aparência
É um cão de porte grande, musculoso, muito forte e de constituição física sólida. As cores são preto com marcas marrom-avermelhadas, preto ou cinza. Medem aproximadamente de 60 a 65cm, sendo que as fêmeas são um pouco menores. A pelagem é curta, densa, reta e áspera. A cauda é caída fazendo uma ligeira curva para cima.

Saúde
Trata-se de um cão muito forte, mas... como todo cão de grande porte, o pastor alemão está sujeito à displasia coxo-femural. Alguns exemplares podem apresentar epilepsia hereditária que pode aparecer por volta dos três ou quatro anos de idade. Outro problema que pode ocorrer com essa raça é o crescimento irregular dos vasos sanguíneos dentro da córnea, o que pode levar à cegueira.


Curiosidades
O pastor alemão foi usado pelos alemães nas duas guerras mundiais com cães de alarme e como mensageiros. Ganharam o apelido de “el diablo” (“o diabo” em português). Por isso mesmo – e injustamente – foi odiado por ingleses e franceses por um bom tempo e até proibido de entrar em alguns países. Teve seu nome trocado para pastor alsaciano, para que não lembrasse os tempos de guerra contra os alemães. Bobagens do ser humano que põe a culpa de seus erros num animal tão nobre.

Old English Sheepdog


Origem
Apesar de existir há séculos na Inglaterra, a origem dessa raça é incerta, mas existem especulações sobre o assunto, entre elas a de que é oriunda do cruzamento do briard com o russian owtcharka que, por sua vez, tem parentesco com os pastores húngaros. Esses cães também são conhecidos como bobtails, por terem a cauda cortada. Foram usados como cães de trabalho e pastoreio até o século XIX e por volta da década de 1880 começaram os cruzamentos diversos para exposições e isso inibiu seus instintos mais agressivos. É um cão simpático, bonachão e muito amigável.


Aparência
O old english sheepdog tem pelagem densa e felpuda que deve ser aparada em climas muito quentes. As orelhas são pequenas e ficam escondidas sob o pelo. Pode pesar até 30kg, um cão de porte grande e as fêmeas são um pouco menores. Vem nas cores acinzentada, cinza e azul. Sua vida é longa, podendo chegar até os 12 anos de idade.


Saúde 
É um cão saudável, mas podem ocorrer problemas como a displasia coxo-femural, dermatites causadas por alérgenos variados, dermatites atópicas, causadas por inalantes, dermatites de contato, causadas por picadas de pulgas e carrapatos, bem como por substâncias irritantes com alguns desinfetantes. A atrofia progressiva da retina e a catarata também podem ocorrer nesse simpático animal.

Curiosidades
Trata-se de um astro da TV e da música. A personagem “Priscila”, estrela da TV Colosso, era um old english sheepdog. O cão também foi estrela de um comercial de TV das tintas Dulux, na Inglaterra, na década de 1960. E a canção “Martha My Dear”, gravada pelos Beatles no Álbum Branco, era uma referência à cadela sheepdog de Paul McCartney. Só isso já basta para imortalizar a raça!



quinta-feira, 20 de setembro de 2012

Mastim Napolitano


Origem
Trata-se de uma raça muito antiga, sendo mencionada por grandes escritores e oradores da Roma Antiga que o chamavam de “bom cão guardião”. As origens são controversas. Há quem diga que o mastim seria descendente de cães que Alexandre, o Grande conhecera na Grécia. Outros afirmam que descende diretamente dos molossos romanos, usados pelos exércitos em suas guerras de conquistas. Há a corrente que foram trazidos à Inglaterra pelos romanos e ali, surgido através de cruzamentos entre os molossos e os pugnaces britannie. E, finalmente, há que diga que foram introduzidos na Europa, pelo Mediterrâneo, há milênios, trazidos pelo fenícios.

Aparência
O mastim atinge sua plenitude física aos três anos de idade e pode chegar aos 85kg e medir 77cm. A cabeça é arredondada, com crânio largo e pele cheia de rugas e pregas. Os olhos são afastados e profundos, as orelhas são pequenas, triangulares e achatadas. É um cão muito forte e vem nas cores cinza, cinza-chumbo e preta, com algumas pequenas manchas brancas no centro do antepeito.

Saúde
Por ser um cão extremamente volumoso, pode apresentar problemas de saúde. Os mais comuns são a obesidade – é um cão guloso, por isso, olho na alimentação dele – torção gástrica (divida a comida em porções, evitando dar tudo de uma só vez), dermatite, por causa das rugas e dobras, displasia coxo-femural, otite e entrópio, que é uma inflamação nas pálpebras.


Curiosidades
Há um escrito romano que diz que o mastim deve ser preto ou escuro para afugentar os ladrões de dia e poder atacá-los à noite sem ser visto. O mastim aparece nos filmes de Harry Potter, como cão para caçar javalis da Hagrid, o guarda-caça de Hogwarts, e seu nome é Canino. São cães muito pesados e seu peso depende da zona de origem dos seus ascendentes. Em determinadas regiões da Itália, o mastim pode chegar facilmente aos 100kg.

terça-feira, 11 de setembro de 2012

Mastiff


Origem
O mastiff é uma raça tradicionalmente inglesa, com antepassados na Assíria e no Tibete. É o cão mais pesado do mundo e foi muito usado no combate entre cães, leões e ursos, na Inglaterra antiga. Hoje, é usado como cão de guarda e de defesa. Afinal, ninguém encara um bicho desse tamanho com muita facilidade.

Aparência
É um cão muito apreciado pelos seus dotes estéticos e pelas qualidades de seu temperamento. Trata-se de um cão grande, volumoso e simétrico. Chega a pesar 90 kg já aos dois anos de idade. As fêmeas são um pouco menores, chegando aos 80 kg. Há casos de mastiffs com três anos ultrapassando os 100 kg. O focinho é largo, os olhos são pequenos e bem separados, as orelhas pequenas e finas. A pelagem é curta e espessa e vem nas cores bege claro, laranja escuro e tigrado com preto. Todos devem apresentar máscara e orelhas pretas.

Saúde
Apesar de ser um cão de proporções exageradas e muito forte, todo cuidado com ele é pouco, principalmente pelo seu peso excessivo. Os filhotes já nascem pesando 600 g e aos seis meses podem chegar aos 50 kg. Por isso a alimentação deve ser superbalanceada e acompanhada de perto pelo veterinário. Não se deve dar muito cálcio para o mastiff para que não apresente problemas de postura. Exercícios físicos são fundamentais, respeitando-se, é claro, os limites do animal. O mastiff pode chegar até os 12 anos de vida.

Curiosidades
A raça é uma das mais populares nos Estados Unidos. Esse verdadeiro gigante é muito pesado e já houve o registro de um exemplar com até 155 kg. É uma raça muito antiga. No Egito foram achados artefatos datados de 3.000 a.C. com representações de mastiffs. Foram trazidos para Europa pelos fenícios. Até o século XVII era usado como cão de guerra e quando Júlio César invadiu a Grã-Bretanha em 55 a.C., os celtas possuíam seus mastiffs. Em 1415 o mastiff participou da batalha de Agincourt.